Glover, sobre enfrentar Rashad Evans: ‘Por mim, a luta já está aceita’

Glover atravessa fase espetacular (Foto William Lucas/Inovafoto/UFC)

Com quatro vitórias convincentes no UFC, Glover Teixeira, pouco a pouco, vai se encaminhando para uma disputa de cinturão dos meio pesados. E o brasileiro acredita que superar Rashad Evans – que derrotou Dan Henderson, no sábado (15) – pode ajudar em sua caminhada rumo ao title shot.

Em entrevista à TATAME, Glover se animou com a possibilidade de encarar Evans e falou que aguarda apenas a ligação do Ultimate para fechar o combate.

“Por mim, esta luta já está aceita. O Rashad deve querer umas duas semanas para descansar, então, no fim de agosto ou em setembro, se essa luta saísse, estaria muito bom. Estou sempre pronto”.

Glover sabe que está com moral na organização e em grande fase. Ele ocupa o terceiro lugar no ranking oficial de sua divisão no Ultimate, atrás apenas de Lyoto Machida, Alexander Gustafsson e do campeão Jon Jones, que não entra na listagem. “Já estou na cabeceira e, dependendo de como eu ganhar, com mais uma ou duas lutas posso receber a disputa de título, o que seria uma grande oportunidade.

O atleta brasileiro fez questão de elogiar Rashad, que já ostentou o cinturão da categoria, e, atualmente, luta para voltar ao antigo posto.

Natural de Sobrália, Minas Gerais, Glover finalizou James Te Huna em sua última atuação (Foto UFC)

“O Rashad é um cara perigoso para qualquer um. Tem boa trocação, Wrestling e, com certeza, um bom Jiu-Jitsu. Ninguém foi campeão do UFC à toa. Ele se apresentou bem contra o Dan Henderson e acho que faríamos uma ótima luta. Ele oferece perigo, mas, estamos nesse evento para isso. Quanto maior o desafio, maior a vitória”, disse o brasileiro, que garantiu estar com a mão direita 100% recuperada. “Vou fazer um raio-x para mostrar à Comissão Atlética, mas estou treinando normalmente e dando soco sem problema algum”.

A aguardada estreia de Glover no UFC se deu em maio do ano passado, quando ele finalizou Kyle Kingsbury, no primeiro round. Em seguida, passou por Fabio Maldonado, Quinton “Rampage” Jackson e, em sua última aparição no octógono, despachou James Te Huna, com uma guilhotina no assalto inicial.

Notícias relacionadas