Bisping manda recado a Belfort: ‘Vamos ver se ele é tão rápido quanto pensa’

Bisping luta com Belfort de olho no título (Foto UFC)

Michael Bisping desembarcou no Brasil para promover o UFC São Paulo, que acontece no dia 19 de janeiro, e não poupou declarações ásperas ao adversário da luta principal da noite, o brasileiro Vitor Belfort.

“O que mais o Vitor disse? Vamos lá, podem me falar”, pediu o inglês, em conversa com a imprensa na capital paulista, sedento para continuar o jogo de provocações ao oponente.

Ao ouvir que Vitor o chamou de “hooligan”, Michael deu gargalhadas.

“Ele me chamou de hooligan e disse que vai me mandar de volta pra Inglaterra? Sério? Bem… Esse hooligan vai encontrá-lo no quinto round, quando ele estiver totalmente sem gás”, disparou Bisping, que emendou.

“Ele pensa que vai nocautear todo mundo, mas, acredite em mim, ele tem dez derrotas no seu cartel e 21 vitórias. Ele não é invencível, ele não é Jesus Cristo. Ele é apenas um homem que foi vencido muitas e muitas vezes, e vai ser vencido de novo”.

Clique aqui e confira a galeria de fotos da encarada de Belfort e Bisping no coração de SP

Bisping espera uma luta de trocação, mas garantiu estar pronto para mostrar seu Jiu-Jitsu (Foto UFC)

Curiosamente, Michael tem o mesmo número de vitórias por nocaute que o brasileiro (14), e está confiante em suas mãos para desempatar as estatísticas.

Bisping possui 14 nocautes em sua carreira (Foto UFC)

“Tenho que estar pronto. Essa é a luta. Não vou ficar fugindo dele, vou lutar partindo para cima. Eu acredito que posso batê-lo. Vou encontrá-lo no meio do octógono e fazer o meu melhor”, avisa o inglês, que atualmente treina e mora na Califórnia, Estados Unidos.

“Tenho um ótimo Boxe e sou difícil de ser acertado. Vamos ver se ele é tão rápido quanto pensa que é. Vai ser uma luta dura, mas acredito em mim. Ele acredita que pode me vencer, e é isso que torna uma luta”.

Apesar de esperar por um duelo predominantemente de trocação, Michael garante estar treinando todos os asepctos do jogo, para não ser surpreendido.

“Eu sempre treino tudo, buscando melhorar. Ainda tenho um longo caminho a percorrer para ser o melhor. Não me preocupo com o Jiu-Jitsu do Vitor, isso não será um problema. Não acho que ele tentará me finalizar, ele vai tentar me nocautear”.

Notícias relacionadas