Conan Silveira

Aluno de Carlson Gracie, Marcos Conan Silveira é um dos líderes da American Top Team, apontada como a melhor equipe de MMA do planeta. Com a chance de conquistar o cinturão meio-médio do UFC para o time, Conan conversou com a TATAME sobre a expectativa para a luta entre Thiago “Pitbull” e Georges St. Pierre, que acontece no UFC 100. “Eu queria começar a responder essa pergunta numa certeza de 1000% que ele vai ser a pessoa a derrotar o campeão atual”, aposta Conan, que comentou o crescimento do time, que já possui mais de 40 filiais nos Estados Unidos, a possibilidade de abrir uma filial no Brasil e as próximas lutas de seus casca-grossas.

Como estão as coisas na ATT?

Com certeza, como é de praxe, os treinos aqui estão cada vez mais técnicos e mais específicos. Fizemos uma associação com a IHP, que é um centro de condicionamento. Estamos com o nosso condicionador físico, o Stafane Dias, trabalhando junto com o Carlos Santana, que é do IHP. Como você sabe, temos as lutas principais, que é do pessoal do time de cima, que são Thiago Silva, Alessio Sakara, Hector Lombard, Thiago Pitbull, Gesias Cavalcante, e tem mais o Wilson (Gouveia), que vai lutar no dia 29, no mesmo dia do Thiago Silva contra o Keith Jardine, tem o Mike Brown, lutando pela revanche com o (Urijah) Faber. Aqui está pegando fogo.

Cada vez mais, a ATT abre filiais pelos Estados Unidos. Como está sendo feito esse trabalho?

É uma coisa boa, porque, devido ao trabalho que a gente mostra, é todo mundo querendo se associar a gente. Mas temos uma apólice, uma coisa bem restrita, que, por mais que a gente queria expandir a ATT, temos que pontuar a qualidade das pessoas que se associam a gente. Na Flórida temos um controle maior, porque as filiais são de faixas-pretas nossos. Mas, fora isso, temos uns instrutores que vêm com a gente para instruir e qualificar as pessoas, em um prazo longo, claro, pois isso não pode ser feito correndo. Mas contornamos bem esse aspecto, que é a qualidade do ensino.

Vocês pretendem abrir uma filial no Brasil algum dia?

Com a gente tudo é possível, a partir do momento que seja uma coisa que a gente consiga controlar, no sentido do aproveitamento e da qualidade. Porque abrir por abri não é do nosso interesse. Não estamos interessados em ter o nosso nome em qualquer lugar, com qualquer pessoa. Isso pode até parecer um pouco chato, mas é dessa maneira que você controla o seu produto. Já foi comentado. Até em outros países, não só no Brasil. Já temos alguns planos, mais futuros, que vamos fazendo bem devagarzinho, para que a gente possa se aprimorar cada vez mais e aplicar o sistema cada vez melhor pra onde a gente for.

A ATT está na iminência de conquistar o cinturão do UFC com o Pitbull. Como está a preparação dele?

Eu queria começar a responder essa pergunta numa certeza de 1000% que ele vai ser a pessoa a derrotar o campeão atual, que é o Georges St. Pierre. Posso ser suspeito para falar isso, mas tenho certeza pelos treinos dele, pela vontade que ele está, o entrosamento todo do time, porque isso você não faz sozinho. Somos uma família como qualquer outra. Lavamos a nossa roupa suja, mas na hora do pega pra capar mesmo, vou te falar sinceramente que não conheço, com o tempo que tenho em MMA, uma academia como a ATT.

E o Jorge Santiago? Já tem idéia de quando ele volta a lutar?

O Jorginho já voltou ao treinamento, depois de um ano de muita luta, de muitos rounds. Ele estava tratando a mão e se recuperando. Acredito que em breve, nos próximos dois meses, já teremos alguma idéia de qual vai ser a próxima luta dele. Porém, não só em relação ao Jorginho, como você sabe, estamos sempre correndo, cada um em um show, cada um em um evento e uma divisão. O Thiago vai lutar contra o Jardine, que isso já o coloca de volta, ele não perdeu o lugar dos melhores, só foi uma questão de pausa. Temos também o Sakara, que vai fazer uma luta ótima, que não queríamos, mas com certeza será uma luta boa, que é com o Toquinho. E por aí vai…

Como está o treinamento do Sakara para parar o jogo de chão afiado do Toquinho?

Com certeza está sendo um treinamento diferente, estamos especificando o treino dele, porque existe uma compensação para o que o Toquinho é embaixo e o Sakara é em cima, que é excelente. Estamos balanceando o treino dele. Tenho certeza de que vai ser outra conquista para a gente, apesar de achar que vai ser uma luta muito dura. É até uma situação meio difícil falar isso, porque temos a BTT como um irmão, uma família. Mas profissionalismo é profissionalismo, temos que chegar lá e conferir.

Como você vê a mudança do adversário do Thiago Silva?

Em minha opinião, existe um nível de Thiago Silva, Sakara, Pitbull, e mais de nossos melhores lutadores profissionais. A partir desse nível, todas as lutas são difíceis, perigosas e têm que ser encaradas de uma maneira muito séria. Logicamente estávamos com plano feito para o Forrest Griffin, mais graças a Deus temos habilidade e ferramentas para poder mudar o treinamento. Então já foi feito isso. Essa mudança não foi uma coisa que vai afetar muito, porque ganhamos mais duas semanas de treino, devido à mudança da data da luta. Nós vamos focar agora no Jardine, mas acredito 1000% que o Thiago vai levar essa luta pra gente também, porque ele é mais duro que o Jardine.

O Marcelinho Garcia estava cotado para lutar o GP no Dream, mas o GP começou e nada mais foi falado. Porque teve essa desistência por parte do Marcelinho?

Como sempre existem os pontos políticos, não sei muito dos detalhes das coisas, isso é uma coisa mais de contrato. Mas ele já está se preparando para o Mundial, não tenho nem palavras para falar o talento que ele é, não existe uma pessoa como o Marcelinho. Daqui a pouco ele está voltando também para os treinos de vale-tudo.

Como está a preparação do Gesias Cavalcante?

Um dos pontos fortes que temos aqui é a seriedade em relação ao oponente. Quando o lutador é uma pessoa focada como o Gesias, como os outros, que são profissionais de ponta, de primeira qualidade, ele com certeza vai com tudo. Ele está em um treinamento intensivo, fazendo de tudo. Não tenho mais nada a dizer, a não ser que é outra certeza de vitória que eu posso afirmar.

O pessoal da ATT recebeu o pedido do Chuck Liddell para fazer a preparação dele para a luta contra o Shogun. Como surgiu esse convite?

Na verdade com a vinda dele em um dos seminarios que tivemos aqui . Mas ele não chegou a treinar com a gente, O Danillo (Villefort) foi dar uma força para ele no treino para essa luta. O Índio também é outro lutador que está subindo no ranking e se mostrando um ótimo adversário na categoria dele.

O que você achou da luta do Shogun e do Liddell?

Eu acho que o Shogun começou a se encontrar no UFC agora. Acho que, na verdade, falta a ele um teto, ou uma casa, se é que você entende o que estou falando. Ele precisa de um ambiente de treino. O lutador que não consegue se firmar e se entrosar no lugar, ele terá uma dificuldade muito grande de se firmar em uma categoria ou em um evento.

Você acha que ele pode voltar a ser o Shogun que era no Pride?

Acho que tudo é uma questão de entrosamento. Não existe lutador, por mais talentoso, e casca-grossa que seja, que faça sozinho esse trabalho. Esse é o tipo da caminhada, e trabalho que você não consegue e nunca vai conseguir fazer sozinho. Se ele voltar para o treino antigo e se encaixar bem, acredito que ele terá sucesso. Vamos esperar essa próxima luta, acredito que a minha opinião será mais formada em relação a ele no UFC quando eu o vir lutar na próxima vez.

Como está a preparação do Índio para a estréia no UFC?

O Danilo está lutando no dia 8 de agosto também. A preparação é como o Wallid diz: a criança chora, mas ninguém escuta, nem a mãe.

Como a ATT está se preparando para enfrentar os possíveis problemas do Pezão com a Comissão Atlética?

Vou ser sincero com você, acho que a primeira parte dessa resposta é em relação a o que você faz e o que você não faz. É claro que existem lutadores, existem treinamentos e sistemas. Existem lutadores que fazem o uso de esteróides, certos lutadores que fazem com que isso seja parte de uma segurança para eles conseguirem fazer sucesso. Mas se existe uma pessoa nesse mundo que não usou isso foi o Pezão. Falo isso não só como um dos lutadores mais antigos nesse meio, mas como alguém que está sempre vendo, e está sempre ao lado. Em momento nenhum ele teve alguma coisa a ver com isso. Foi um erro injusto. A história é verdadeira e que foi por causa de um suplemento que isso tudo aconteceu.

O pessoal da Comissão chegou a entrar em contato com vocês depois dessa última audiência?

Não exatamente, porque tivemos o uso de advogados e tivemos que correr atrás da defesa. Mas, como a Comissão tem uma maneira de proceder, que até agora também não temos uma resposta definitiva se a licença dele será cancelada. Acho que ainda está existindo um ponto de interrogação nessa história toda em relação a ele. Acredito que, em breve, teremos uma noção do que vai acontecer.

Enquanto a situação nos EUA não se resolve, ele volta a lutar no Japão? Como está o posicionamento da equipe quanto a isso?

O nosso apoio é de 1000%, temos certeza que isso não aconteceu. Ele é ATT até embaixo d’água. Existe a possibilidade de ele lutar, não só no Japão, mas como em outros lugares. Não podemos parar a carreira do lutador. Então estamos aguardando uma posição da Comissão para saber como isso será feito.

Como está a preparação do Mike Brown para defender o cinturão contra o Faber?

Você quer dizer como está a preparação dele para ganhar mais uma vez, né? (risos) Ele é outro lutador incrível, é uma pessoa que merece muito estar onde está. Ele é uma pessoa muito dedicada, é duríssimo, vê o feito como se fosse lutar pela primeira vez pelo título. Isso é uma das coisas que a gente procurar trabalhar mais no lutador e na nossa filosofia, que é não deixar que o momento de campeão suba à sua cabeça e faça você perder a direção do caminho, tem que continuar indo. Então, em outras palavras, ele é o campeão e vai continuar sendo, eu acredito, por um bom tempo, mas o treino e o foco dele estão como se ele estivesse tendo a primeira oportunidade de lutar.

Essa categoria também está cheia de pedreira, como o José Aldo e o Wagnney. Como você veria um combate entre o José Aldo ou o Wagnney com o Mike?

Seriam lutas duríssimas. É o que eu falei, é uma diferença de nível. Depois de certo nível de lutador, não existe mais aquele lutador que trás uma dificuldade, os lutadores começam a ser completos. Tanto um como o outro teria uma luta dura. Pode ser suspeita a minha resposta, não sei te dizer, porque acredito que o Mike ganhe.

Você vê algum lutador, hoje, que esteja acima desse nível de lutadores tops? Ou todos estão no mesmo nível?

Não. Não vejo ninguém. Acho que existe o momento de cada um. O nível de luta, o nível de lutador, de treino, de aprendizado, de técnica, são praticamente os mesmos. Existe o momento daquela pessoa, naquele lugar. Senão o lutador que fosse campeão não ia perder nunca mais. Acredito que seja um ciclo. Aquele lutador de ponta, com aquele potencial, está naquele momento em cima.

Vi que o Bobby Lashley, que veio do telecatch, está na equipe também. Como surgiu a vinda dele?

O Bobby, além de ser um atleta natural, uma pessoa que já nasceu para ser atleta, ele fez uma carreira muito boa no telecatch, e resolveu vir para o verdadeiro, que é o MMA. Ele está fazendo uma ótima transição, está reagindo muito bem a essa mudança, já está com uma luta marcada para o dia 15 de maio, se não me engano, no Canadá. Estamos indo aos pouquinhos, porque preferimos andar devagar, mas andar sempre, porque acelerar muito nos obriga a parar. Esse é o caso dele, estamos tentando passar todos os conhecimentos que ele precisa que ter. Ele tem um futuro brilhante, daqui a pouco vamos estar com ele nos melhores eventos.

Ele acredita que ele vá seguir o caminho do Brock Lesnar, indo pro UFC e conquistando o cinturão de lá?

A gente quer que ele seja melhor do que o Lesnar. Lógico que não vou desmerecer o Lesnar, mas acho que existiu uma pressa muito grande, a entrada dele foi mais apressada ainda. Lógico que existe aquele lado de marketing, de trazer o público, mas temos a intenção de fazer isso com o Bobby de uma maneira mais profissional.

Notícias relacionadas