Demian festeja finalização no UFC e espera luta contra Jon Fitch ou Nick Diaz

Demian não teve problemas para vencer Story (Foto Eduardo Ferreira)

Demian Maia voltou a mostrar o valor de sua faixa-preta no UFC. Após mais de três anos sem finalizar um oponente, o paulista tirou onda diante de Rick Story, no UFC Rio 3, ao finalizar no mata-leão ainda no primeiro round.

Satisfeito com sua performance, Demian concedeu entrevista exclusiva à TATAME e, entre outros assuntos, revelou o interesse em duelar com Nick Diaz ou Jon Fitch, duas pedreiras da categoria.

“Jon Fitch e Nick Diaz seriam adversários que, com certeza, têm muito nome nessa categoria e me fariam subir rápido”, disparou o atleta, que venceu suas duas lutas como meio-médio. “As duas (lutas) teriam muito Jiu-Jitsu. Os dois são bons disso, só que sinto o Fitch mais voltado para o Wrestling com Jiu-Jitsu, e o Nick é um cara mais pro Boxe do que pro Jiu-Jitsu”.

Confira abaixo a entrevista com o atleta:

Que avaliação você faz dessa segunda luta como meio-médio do UFC?

Feliz de ter finalizado depois de muito tempo. Estou me sentindo muito bem no peso. Lutei com dois adversários duros e tive superioridade sobre os dois no primeiro round, então estou bem confiante. Acabava lutando num peso que não era o meu biótipo. Além de tudo, o treino está muito bem feito, fazendo mesmo o que tenho que fazer, indo bem direto ao ponto, trabalhando o que realmente vai funcionar. Pensando em cortar caminhos.

Como foi a mudança no treinamento para voltar a focar na sua especialidade?

Eu trouxe mais sparrings de Jiu-Jitsu para me ajudar. Faz um tempo que estou fazendo isso. Como falei, perto da luta começo a fazer a parte tática. Antigamente, eu não fazia uma parte tática muito detalhada. Agora faço bem próxima do que vou fazer e acabo treinando de acordo com o que vou fazer. Nessa luta, era para eu ter calma. Não era que nem a do coreano, que eu já tinha que derrubar e botar para baixo. A tática era trabalhar com calma para colocar para baixo ou, se ele viesse muito afoito, já colocar. Foi o que aconteceu. Foi automático pelo treino que a gente está fazendo. O que você treina é o que você acaba fazendo na luta. O Pedro Rizzo uma vez: você tem que treinar de acordo com o que quer fazer e a tática que pretende usar.

Demian se emocionou com os gritos da torcida na HSBC Arena (Foto Eduardo Ferreira)

Foi indescritível. Eu lembrei dos anos 1990, que ia assistir e a galera gritando. Sempre lutei por isso, por essa arte marcial que a gente criou, que a família Gracie desenvolveu e que é da nossa terra. Sempre lutei para divulgar isso e fiquei muito feliz das pessoas reconhecerem que eu estou lá representando a nossa arte marcial.

Com a volta do foco na arte suave, você é visto com outros olhos pelos adversários. Acha que subirá mais rápido nos rankings dessa forma?

Apesar de eu sempre tentar buscar o Jiu-Jitsu, sou um lutador de MMA completo e a minha tática é de acordo com cada adversário. Talvez, com algum adversário, eu tenha que trocar um pouco mais, mas a minha ideia é sempre – como no Jiu-Jitsu é o que eu tenho mais facilidade e, normalmente, superioridade – buscar isso. Se eu continuar fazendo isso, vou chegar à condição de candidato ao cinturão.

Qual é o próximo passo? Talvez uma luta contra o Jon Fitch?

Cara, me falaram muito dessa (luta). Na verdade, vou te falar: sentei para conversar com o Eduardo (Alonso) ontem, tenho que ver o que o UFC tem a oferecer também. No fim das contas, eles decidem. Como não tenho nada pessoal contra nenhum adversário, é ter uma boa luta, colocada num bom evento, talvez um co-main event ou main-event, para começar a despontar como contender, para aparecer melhor.

Acha que o Jon Fitch ou o Jake Ellenberger são caras que te ajudariam a subir mais rápido na categoria?

Cara, acho que o Jon Fitch e Nick Diaz seriam adversários que, com certeza, têm muito nome nessa categoria e me fariam subir rápido. Os outros, acho que estão com lutas marcadas, mas esses dois com certeza são caras duríssimos e já provaram muito que fariam eu subir na categoria.

Jon Fitch venceu Erick Silva no UFC Rio 3 (Foto Eduardo Ferreira)

Acho que as duas teriam muito Jiu-Jitsu, cara. Tanto com o Nick quanto com o Fitch. Os dois são bons disso, só que sinto o Fitch mais voltado para o Wrestling com Jiu-Jitsu, e o Nick é um cara mais pro Boxe do que pro Jiu-Jitsu.

O Jon Fitch quase finalizou o Erick Silva em um arm-lock e o brasileiro quase finalizou o americano no mata-leão. Chegou a assistir à luta? O que faltou para os dois conseguirem a finalização?

Eu assisti, mas ali do vestiário. Olhava e não olhava, e conversava. Eu já tinha lutado. É muito difícil julgar. Eu vi a hora que o Erick encaixou um mata-leão. Ele estava muito cansado, então isso pode ter atrapalhado um pouco a força isométrica. O Fitch foi pro braço. Cara, eu lembro do braço, mas não lembro da escapada, ele saiu bem. Acontece… Eu também já cheguei a posições dessas e não finalizei. Tem vários fatores. Eles se desgastaram muito na luta, foi muito intenso.

Notícias relacionadas