Iliarde comemora chance no Ultimate e quer explorar falhas no jogo de Marajó

Iliarde fará sua estreia no UFC (Foto Eduardo Ferreira)

Com a lesão de Marcos Vinícius “Vina”, Iuri Marajó foi obrigado a mudar seu adversário para o UFC no Combate 2, que será realizado dia 18 de maio em Jaraguá do Sul, Santa Catarina. Seu oponente agora será Iliarde Santos, que fará sua estreia na organização.

Em entrevista à TATAME, o paraense comentou como foi a emoção de receber a notícia que estava no maior evento de lutas do mundo. Além disso, o atleta afirmou que pretende explorar as falhas no jogo de Marajó.

“Ele é um trocador, bom atleta do solo também, mas a gente vai ver. Vamos procurar erros, brechas para fazer a melhor luta possível”, disse o peso galo.

Confira abaixo a entrevista na íntegra:

Como recebeu a notícia?

Foi engraçado, porque estava chegando de uma corrida, como preparação para a minha próxima luta, onde disputaria o cinturão do Coliseu, e um aluno chegou me dando parabéns. Mas meu empresário falou para eu continuar focado, que não tinha nada certo ainda… Mas, horas depois, veio a notícia confirmando e soltei um grito que estava engasgado faz tempo. O objetivo de todo lutador é chegar no UFC e estava buscando essa chance para mostrar que tenho condições.

Como foi a reação da família?

Todo mundo acompanha o UFC, ficaram felizes demais.

Acha que vai dividir o estado do Pará com essa luta?

Com certeza, vai ficar dividido. Somos dois lutadores bem queridos. Vai ganhar quem estiver mais preparado.

Pretende se manter mesmo no peso galo?

Vou lutar no 61kg, que é meu peso, mas quem sabe para frente a gente veja outra divisão. Porém, a que eu luto é essa mesmo.

O que acha do Marajó?

Ele é um trocador, bom atleta do solo também, mas a gente vai ver. Vamos procurar erros, brechas para fazer a melhor luta possível.

Ele é bastante experiente, já tendo lutado no WEC e algumas vezes no UFC… Isso pode contar a favor?

Essa parte a gente só sabe na hora. Todo evento que a gente luta tem um pouco de adrenalina e não podemos dizer que ele não vai ficar nervoso. Isso depende do atleta, da cabeça dele na hora. Espero que minha estreia seja boa. Entro para ganhar, sempre.

Acha que o Hacran mostrou, no UFC de Minas Gerais, as falhas do Marajó que você pretende explorar?

Só estudando mesmo para ver. Com a derrota a gente aprende muito também. Não podemos dizer para fazer o mesmo jogo, já que a visão de todo lutador é sempre melhorar. Só vamos saber na hora.

Quer deixar algum recado?

Queria agradecer o Coliseu, que eu lutaria pelo cinturão aqui em Maceió no final de semana. Queria agradecer aos meu empresários Alex Davis e Samir Nadaf, que me deram essa grande oportunidade.

Notícias relacionadas