Kron Gracie negocia com evento japonês para estrear no MMA em agosto

Lutador negocia luta com evento do Japão (Foto Marcelo Barone)

Kron Gracie, em setembro do ano passado, havia manifestado, com exclusividade à TATAME, a vontade de deixar o Jiu-Jitsu competitivo para se “aventurar” no MMA. E, pouco a pouco, o sonho dele vai ganhando contornos reais. O faixa-preta negocia para fazer sua estreia nas artes marciais mistas em agosto, no Japão, país onde seu pai, Rickson, colecionou vitórias.

“Está tudo no caminho certo. Se Deus quiser, irá acontecer. O Japão está me oferecendo mais possibilidades e é um lugar mais bonito para se lutar. Nos Estados Unidos, a luta foi feita para ir contra o Jiu-Jitsu. Os caras não deixam a luta muito tempo no chão, a torcida começa a vaiar… No momento, quero ganhar experiência, e o Japão seria a melhor opção para o meu início no esporte”, disse Kron à TATAME, que preferiu não revelar o nome da organização com a qual negocia seu debute. “Não descarto lutar em outros lugares também. Estou aberto a propostas”.

No hiato entre janeiro e agosto, disputar campeonatos de Jiu-Jitsu não está nos planos do lutador. Kron vai aproveitar o tempo para aperfeiçoar a trocação.

Faixa-preta espera mostrar que a arte suave ainda é a modalidade mais eficiente do MMA (Foto Marcelo Barone)

“Não estou pensando muito em lutar Jiu-Jitsu. Vou dedicar mais meu tempo para o Vale-Tudo. Minha mente está voltada para isso. Quero me preparar bem”.

Radicado na Califórnia, Estados Unidos, Kron, que treina MMA na academia liderada por Cesar Gracie, se mostrou empolgado para representar a família e reafirmar a supremacia da arte suave sobre as demais modalidades.

“Tomar porrada na cara não é tão difícil quanto eu pensava. O Jiu-Jitsu é um esporte muito mais difícil que Boxe, mais complexo. É claro que você pode se machucar muito mais sério, se cortar, levar um nocaute… Mas, a dor, em si, não é muito maior. É uma coisa que você se acostuma, vai aprender a maneira como lutar. Estou adorando treinar Vale-Tudo e ficar nessa vibe de luta. Estou muito motivado para lutar, sair na porrada, de enfrentar os caras que não acreditam que o Jiu-Jitsu possa vencer no MMA. Estou aí para mostrar que o Jiu-Jitsu ainda é a melhor arte marcial”.

Notícias relacionadas