Lyoto rebate declaração de Vitor Belfort: ‘Não faz sentido nenhum o que ele disse’

Escalado para enfrentar Chris Weidman no UFC 175, em maio, Vitor Belfort viu seu sonho de disputar o cinturão ruir quando a Comissão Atlética de Nevada baniu a utilização da terapia de reposição de testosterona (TRT), da qual o “Fenômeno” era adepto. Belfort, então, foi substituído por outro brasileiro: Lyoto Machida.

No último sábado (26), no entanto, Vitor declarou ao site MMAFighting que seu corpo já estaria livre da testosterona e que, desta maneira, ele poderia assumir o lugar de Lyoto no UFC 175. Em entrevista à TATAME, o “Dragão” rebateu Belfort e disse que o carioca tem que esperar a vez dele de lutar pelo título.

“Acho que essa declaração não faz sentido nenhum. Uma vez que a luta já foi descartada, existe uma outra possibilidade, uma outra preparação, um outro atleta envolvido, e esse atleta sou eu. Acho que o Vitor tem que esperar mais um pouco. Realmente, ele tinha o direito de lutar, mas, por outros motivos, ele não pôde se apresentar. Se no dia de dar a resposta ele não pôde, agora já passou do tempo. Ele tem que esperar a minha luta contra o Weidman e depois ele vai ter a chance dele”, disse Lyoto, que garante não ter se sentido incomodado com a declaração.

Lyoto Machida rebateu a declaração de Vitor Belfort sobre a luta contra Weidman (Foto Eduardo Ferreira)

Lyoto Machida rebateu a declaração de Vitor Belfort sobre a luta com Weidman (Foto Eduardo Ferreira)

“Eu não levo as coisas para o lado pessoal. Acho que, como sempre, ele está tentando olhar o lado dele. O próprio Dana White descartou a possibilidade de ele lutar. Eu já até assinei o contrato da luta, então, está tudo certo”.

Desde que Machida desceu para a categoria dos médios, uma luta contra o “Fenômeno” virou uma possibilidade real. Os dois, que já treinaram juntos em certas oportunidades, têm travado algumas discussões por meio da mídia. Lyoto garante, no entanto, que não tem nada contra Belfort.

“Temos uma relação profissional. Ele é um colega de profissão, tenho respeito por ele, mas não tenho relação nenhuma. As vezes que ele foi a Belém, ele foi para um evento e acabou aproveitando a oportunidade para treinar comigo. Em uma outra ocasião, a gente treinou na X-Gym, no Rio de Janeiro, em 2007. Cada um tomou um rumo diferente, e eu não tenho nada contra a pessoa dele. Mas, às vezes, o Vitor dá umas declarações que não são tão felizes. Não sei explicar isso direito”, concluiu Lyoto.

Notícias relacionadas