Sonnen volta a provocar os brasileiros e aposta em Bisping contra Belfort

Sonnen voltou a provocar o Brasil (Foto UFC)

Depois de ser surrado na segunda oportunidade que teve contra Anderson Silva, Chael Sonnen parecia ter esquecido de provocar os brasileiros e o Brasil, mirando seu “canhão de bobagens” para Jon Jones, seu adversário no UFC 159, dia 27 de abril.

Porém, nesta sexta-feira (11), ele parece ter lembrado do país e voltou a provocar. A organização do Ultimate divulgou uma nota com a análise de Chael Sonnen sobre o duelo entre Vitor Belfort e Michael Bisping, que é a principal atração do UFC São Paulo, que rola no próximo dia 19.

Além de apostar no inglês, a quem ele já derrotou (por pontos, no UFC on FOX 2), Sonnen fantasiou um “enorme favor” a uma criança brasileira.

“Minha visão sobre o Brasil evoluiu um pouco. Eu tive boas experiências quando estava por aí para promover o UFC 148. Um exemplo foi como inspirei uma criança de oito ou nove anos que estava na multidão na coletiva de imprensa. Ela era pequena e adorável, e eu notei que ela havia amado a blusa Armani de 800 dólares que eu estava usando. Ela perguntou se poderia tocar a blusa, porque ela nunca tinha visto um material tão bom antes. Eu me ajoelhei e deixei que ela tocasse. E a deixei com uma mensagem, que eu espero que a tenha inspirado, eu a disse que – se trabalhasse o bastante – poderia crescer para trabalhar ao lado da mãe, tia e avó na fábrica que fazia aquelas blusas para a apreciação de americanos ricos. Então, dei uns tapinhas em sua cabeça, um pirulito, pulei na minha limosine e mandei o motorista pisar fundo em direção ao aeroporto mais próximo para que eu pudesse fugir do Brasil”, disse Sonnen, que apareceu na coletiva de imprensa com uma camisa esporte, e não social.

Confira alguns dos comentários de Chael Sonnen:

Sobre quem vence no UFC São Paulo: “Esta é uma luta bem casada. Bisping é o favorito. Ele tem mais maneiras de vencer; ele é um kickboxer muito melhor e tem mais armas para ganhar. Ele também pode vencer em qualquer round ou vencer por pontos.  Vitor tem apenas cinco minutos durante os quais é o cara mais perigoso, mas, depois disso, ele não é o mesmo animal”.

Sonnen e Bisping se enfrentaram em janeiro de 2012, com o norte-americano levando a melhor por pontos (Foto UFC)

Sobre Bisping contra Anderson: ”Realmente quero ver Bisping ganhar essa luta e ter a chance de disputar o título. Ele merece. Já passou da hora. Bisping tem muita garra, ele sempre vem com tudo em suas lutas, ele nunca desiste – eu sei que ele pode derrotar Anderson Silva e ser o campeão peso médio. Não há dúvidas na minha mente de que o Bisping pode derrotar o Anderson. Contudo, para ter essa chance, Michael tem que derrotar o campeão mundial que é Belfort. Eu provoco e faço piadas com o Vitor o tempo todo – porque alguém precisa mostrar a fraude e a farsa que esse cara é – mas todos sabem que ele é um dos lutadores mais perigosos do mundo”.

Belfort encara Bisping no dia 19 (Foto Divulgação)

Sobre quem vence: ”O Vitor é um fingidor, ele finge ser alguém que não é. Bisping se alimenta de odiar o outro cara, e ele está claramente desenvolvendo desgosto pelo Vitor. Ele precisa manter isso, porque é assim que ele luta melhor. No fim das contas, eu sei que eu espancaria o Vitor Belfort e o Bisping foi uma das lutas mais difíceis da minha vida. Então, consequentemente, Bisping derrota Belfort”.

Sobre como a torcida afetará o rumo da luta: ”Vaias não vão intimidar o Bisping. Ele já ouviu isso antes e lidou com isso. A torcida não vai afetar a luta, particularmente porque nenhum dos lutadores é do Brasil. Estou em Las Vegas agora e posso ver a casa do Belfort da minha janela. Ele não mora a um raio de 10 mil Km do Brasil há anos. Não acho que qualquer um no Brasil ligue para ele ainda. Ele não é do Brasil, ele é dos EUA”.

Sobre como deve ser a estratégia de Belfort: ”Algumas pessoas dizem coisas como ‘se passar dos primeiros dois rounds, o Vitor não vence’, mas isso não é uma crítica, é um elogio. Ele consegue derrubar as pessoas muito cedo – e fez isso contra lutadores  e campeões muito bons – e isso é o que deve fazer contra Bisping. Ele tem que sair como sempre faz – tentar terminar a luta de cara. Ele pode fazer isso, ele pode acabar com o Bisping cedo. Não adianta tentar poupar energia para os rounds futuros porque, não importa o quanto ele tenha treinado para esta luta, Bisping sempre terá mais gás a partir do segundo round. Belfort deveria simplesmente fazer o que sempre faz – partir para a vitória nos primeiros três minutos”.

Sobre como deve ser a estratégia de Bisping: “Todos têm a mesma estratégia contra Belfort: sobreviver aos primeiros cinco minutos, durante os quais ele (Vitor) é um dos strikers mais perigosos que já entraram no octógono. Haverá três ou quatro minutos muito desconfortáveis para Bisping. Ele precisa revidar, ser inteligente, e começar a devolver a luta para Belfort. Mike sempre revida quando está sendo atingido, o que deve criar uma luta empolgante para os fãs. Ele tem todas as armas, tem mais técnica de kickboxing e pode evitar a pior parte dos golpes potentes do Vitor. Mike não é mais rápido que o Vitor, e ele é mais rápido que a maioria dos lutadores na divisão, mas ele consegue se mover muito bem e contra-atacar muito bem. Se Bisping chegar ao terceiro round, Vitor terá uma experiência bem dolorosa. Bisping simplesmente não se cansa – acredite, eu sei – e esta é uma luta de cinco rounds. Bisping pode vencer no terceiro ou quarto round”.

Notícias relacionadas