Paulão admite que cocaína foi grande inimiga de sua carreira e crê em recaída de Jon Jones

Gustavo Pereira

29/06/2015 10:43

Por muito tempo, acreditou-se que a derrocada de Paulão Filho no mundo da luta havia se dado devido à dependência de remédios tarja preta, que começaram a ser utilizados na época em que o lutador atuava no Pride. Entretanto, em entrevista à TATAME #231, o faixa-preta de Carlson Gracie revelou que a cocaína foi a grande responsável pela depressão que abreviou sua carreira.

“Na verdade, os remédios não atrapalharam em nada. O que me atrapalhou foi a depressão despertada precocemente pelo uso da cocaína. Eu tinha acabado de derrotar o Chael Sonnen, estava em San Diego e fui comemorar em uma festa no México. Fiquei muito bêbado e comecei a passar mal. Um mexicano me ofereceu a droga, eu usei e fiquei ‘novo’. A droga te dá um ‘up’, você fica nas nuvens. Mas, depois que aquilo acaba, você entra em uma depressão profunda”, disse, comentando o caso de Jon Jones, que já foi pego no doping com cocaína e, de lá para cá, se meteu em uma série de confusões, sendo afastado do UFC.

“O Jon Jones tem a mesma doença que eu. Temos uma fragilidade genética para ingerir qualquer tipo de substância. Você usa uma vez e não consegue mais viver sem. Uma hora ou outra ele (Jones) vai usar novamente”, aposta.

620x413
Paulão Filho garante que vai voltar a lutar (Foto Eduardo Ferreira)

Paulão garante ter atuado sob efeito de drogas em várias ocasiões e afirma com tranquilidade que poderia ter sido um dos maiores lutadores de todos os tempos se não fosse a dependência química. Para ele, os atletas estão mais propensos a cair neste tipo de armadilha. 

“Modéstia à parte, eu teria um cinturão tranquilamente. Acho todos brilhantes, não me leve a mal. Mas as pessoas não imaginam a forma que eu estava quando enfrentei grandes lutadores. As pessoas que sabem do meu potencial são aquelas que treinaram comigo: Zé Mario, Murilo, Dedé, Libório, Bitetti... Eles sabem quem é o Paulão Filho. Minha carreira foi interrompida precocemente”, garante.

Paulão ainda não se recuperou totalmente do tiro que levou na perna na saída de uma boate no Rio de Janeiro. O lutador passou por uma cirurgia e ainda faz fisioterapia. Sua intenção, contudo, é voltar a lutar este ano.

“Estou treinando. Vou voltar a lutar. Estou muito mais focado, muito mais descansado. Não é aquele papo de balela de anos atrás. Agora é de verdade. Não bebo, não fumo, não faço nada; só treino. Fico com minha mulher, minha família e amigos, que são poucos. Prometo que o Paulo vai voltar. Nem que seja para perder ou ser nocauteado. Mas vocês vão ver um Paulo bem diferente: pronto para lutar duro, preparado”.