Rodolfo analisa nova geração do Jiu-Jitsu e expectativa para estreia no MMA: 'Me dá motivação'

Mateus Machado

06/02/2017 12:53

Tetracampeão mundial em sua categoria e dono de um título no absoluto, Rodolfo Vieira fez história no Jiu-Jitsu e é considerado um dos principais atletas da sua geração. Todavia, após conquistar grandes feitos na arte suave, o lutador anunciou, em 2015, após a disputa do ADCC - onde sagrou-se campeão -, que não lutaria mais na modalidade para se dedicar com exclusividade ao processo de transição para o MMA.

No entanto, mesmo afastado das competições no Jiu-Jitsu, Rodolfo se mostra atento ao processo de renovação de atletas, ou mais precisamente, à nova safra de faixas-preta que surge no esporte. Em entrevista exclusiva à TATAME, o carioca falou sobre os atletas da nova geração que vêm se destacando nos últimos torneios.

* Rodolfo Vieira diz que 'bota pilha' para ver Buchecha no MMA e garante: 'Teria muito sucesso'; veja

620x413
Rodolfo Vieira, prestes a estrear no MMA, falou sobre a nova geração do Jiu-Jitsu (Foto divulgação)


"A galera está subindo bem (na faixa preta)... Só ver o Marcinho (André), que já quase ganhou do Rafael (Mendes) na final do Mundial da IBJJF do ano passado, faltou um pouco de experiência só. Tem o Victor Honório, que chegou com tudo também, o Patrick Gaudio. Está surgindo uma galera muito boa", afirmou.

Com uma trajetória de sucesso e grandes conquistas na arte suave, Rodolfo Vieira vem criando expectativa nos fãs e em muitos lutadores, que aguardam com ansiedade a estreia da fera no MMA, que acontece no próximo sábado (11), pelo evento japonês Arzalet Fighting Globe Championship, contra Zarylbek Daniyar. A torcida, claro, é para que o lutador também faça história em um novo esporte. Ciente dos elogios que recebe e da ansiedade em torno de suas atuações na modalidade, o multicampeão garante que não se sente pressionado com o fato, afirmando que trata a situação como uma motivação para buscar seus objetivos.

"De maneira alguma eu me sinto pressionado com comentários positivos. Pelo contrário, só me dá mais motivação para seguir em frente. Mas eu sinto que vou me dar bem, sim, e eu procuro enxergar isso da melhor maneira possível, sem me colocar pressão, sem ficar muito preocupado. Vou fazendo o meu trabalho", disse.