Wrestler olímpico dá aula no Rio

Faltando apenas um dia para terminar o seminário da wrestler Patrícia Miranda, medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Atenas, a TATAME esteve na Universidade Gama Filho e presenciou o entusiasmo dos atletas brasileiros em aprender mais com a americana. E não havia só mulheres no seminário, estavam presentes crianças e atletas da seleção brasileira de Luta Olímpica como Clayton Mangueira. ‘Estava indo treinar Vale-Tudo, mas resolvi descer do trem e vir aprender mais com essa excelente Wrestler’, disse Mangueira. É a segunda vez que Patrícia da um seminário no Brasil. A primeira vez foi em 2002 em Belém, no Pará.

- O Brasil tem muito potencial, principalmente com as meninas porque todas nós começamos a lutar nas Olimpíadas agora. É muito importante mandá-las para competir em países como Rússia e Japão, que tem o Wrestling muito forte. Mas esses seminários são muito importantes para quem não tem a oportunidade de ir lá para fora treinar e competir’, contou Patrícia. Presidente da Confederação Brasileira de Luta Olímpica, entidade responsável pela vinda de Patrícia, Pedro Gama Filho pretende ainda alçar vôos maiores. ‘Vamos fechar essa parceira para ela vir todo ano e temos ainda planos de trazer outras feras da Luta Olímpica para dar seminários aqui no Brasil’.

Filha de pais brasileiros exilados nos EUA, Patrícia, que luta na categoria até 48kg, fez história ao ser a primeira atleta de luta feminina no colegial em Stanford, onde também foi a única mulher na equipe de luta. Em 2003 Patrícia foi campeã dos Jogos Pan-Americanos de Santo Domingo e prata no Mundial da modalidade.

Notícias relacionadas